Duas Caras confesa que não haverá batalha entre si e Fly Squad e tudo aquilo uma publicidade enganosa

09:16
As informações que davam conta que Duas Caras e Fly Squad enfrentar-se-iam numa macabra batalha verbal, surgem no contexto da realização daquele que foi o mais esperado evento de hip hop pelos dois países lusófonos – Angola e Moçambique, O Rompimento vs Rapódromo.

Este evento que levou Nicotina KF, Daraguai, 16 Cenas e Kadabra Mc a aterrarem em Luanda, foi um dos assuntos mais comentados nos últimos dois meses nos meios de comunicação social.

Não é para menos, o rapper Kadabra MC fez história no Cine Tivoli, local escolhido para a realização da batalha em Luanda.

Porém, não é só a gorda vitória do Kadabra contra Paizão que confere popularidade à este assunto, como também a proposta de 1 milhão de kwanzas feita pelo integrante dos Kalibrados, Vui Vui, para atiçar o confronto entre os treinadores das duas ligas, Duas Caras (Rapódromo) e Fly Squad (Rompimento).

Como não podia deixar de ser, a proposta foi prontamente aceite pelo treinador da Liga Rampimento, Fly Squad, que na mesma ocasião endereçou um aviso ao “Jay Z de Moz” para que este não metesse 1 milhão no seu bolso.

O autor do Tondje Mcee, que por sua vez, reagiu através do seu facebook, aparentemente aceitou o desafio como forma de honrar o seu nome e de quem há muito acompanha o seu trabalho.

No dia do lançamento do primeiro trabalho discográfico da Classic la Familia, Allan e Jones, intitulado Agora ou Nunca, a equipa da Xigubo aproximou-se do Kara Boss depois da sua actuação para saber o que o rapper está a preparar para levar à Angola.

Sem hesitar, Duas Caras, disse que “aquilo não passa de uma brincadeira, não haverá batalha nenhuma entre mim e o Fly Squad. Os mais atentos já aperceberam-se disto”. 

Perguntado se poderia arriscar-se entrando na batalha contra Fly Squad à pedido de seus fãs, admiradores e moçambicanos no geral, o nosso interlocutor rematou: Não, nem com pedidos dos meus fãs…”

Importa revelar também que durante a sua actuação, o rapper manifestou o interesse de não se dedicar ao estilo Trap como a música Dinda para voltar às suas raízes O País da Marrabenta. Mas a condição para tal, é o público prometer que vai aderir à estas músicas. E em uníssono, a plateia não só aplaudiu a ideia como também garantiu seguir os seus passos.

Share this

Related Posts

Previous
Next Post »